Quantidade de Páginas visitadas

MARCO SITUACIONAL

No mundo atual, cada indivíduo adota a forma de encarar sua realidade e sua existência ao longo da vida, da maneira que lhe seja conveniente. Éatravés de suas vivências que desenvolve seus valores, se convence de como viver, estabelece seus anseios e delineia os objetivos que deverá priorizar durante sua existência. Como cada ser humano é impar, a sociedade assume como sua maior característica a diversidade. Sendo assim, a escola passa a enfrentar os mais diversos tipos de problemas, pois, além da grande diversidade social, se depara com um contexto no qual impera o materialismo, com uma cultura focalizada no “ter” e não no “ser”, onde existe a constante preocupação com a competitividade e o distanciamento humano gerado pelo avanço tecnológico.
A comunidade escolar apresenta, ainda, alguns problemas como: fatores sócio-econômicos, jornada de trabalho dos alunos e desestruturação familiar que refletem no desempenho do educando, ocasionando evasão escolar (principalmente no período noturno).
Diante de tais características, o que se deseja é uma escola com prioridade política, autonomia e reestruturação, melhores recursos financeiros, uma comunidade mais ativa e participativa, turmas menores e condições salutares. Nesse contexto, o corpo docente tem trabalhado de maneira responsável e comprometida com a diversidade que permeia o ambiente escolar, utilizando diferentes recursos didáticos e tecnológicos disponíveis na escola (retro projetor, spin light, computadores, data show, laboratório de ciências e informática).
Em relação aos funcionários, estes têm se demonstrado comprometidos não apenas com o desempenho de suas funções, mas em envolver-se no processo educativo como um todo. Apesar de todo o empenho, o número de funcionários é insuficiente, pois falta bibliotecário,técnico administrativo, inspetor de alunos, técnico de laboratório tanto de ciências quanto de informática, merendeiras e pedagogo no período vespertino para o atendimento às turmas de sala de apoio, sala de recurso e centro de atendimento especializado de surdos.
O ambiente escolar exige participação e tomada de decisões coletivas, onde cabe aos pais, alunos, professores, funcionários e políticos responsáveis posicionar-se. O processo educativo deve fazer com que o educando se sinta parte fundamental da sociedade, e é dever de todos os atores educacionais proporcioná-lo afim de que possa atuar na sociedade, em termos de justiça, dignidade e igualdade.

MARCO CONCEITUAL

A filosofia do Colégio Estadual Soldado Constantino Marochi – EFM, parte do principio de que a perspectiva da escola é a busca da transformação social formando cidadãos socializados, críticos, participativos e conscientes para o exercício da cidadania. Utilizando estratégias variadas na socialização do conhecimento, dentro de um processo coletivo e construtivo, onde o professor é sujeito de sua sistemática de trabalho, agindo conscientemente no engajamento de uma proposta globalizadora e o aluno é sujeito de sua aprendizagem.
Diante disso faz-se necessário uma constante reorganização escolar. A Lei de diretrizes e Bases da Educação Nacional 9394/96 de 20/12/96 se resolve predominantemente por meio do ensino em situações próprias, vinculando-a ao mundo do trabalho, é a pratica social, devendo haver coerência com os valores estéticos, políticos e éticos e sintetizam os princípios fundamentais da educação contemporânea.
Vivemos sob um momento de grandes transformações econômicas, culturais e sociais provocada pelo processo de globalização e pelo avanço tecnológico, apresentando uma sociedade contraditória, onde, ao lado da tecnologia de ponta encontram-se comunidades primitivas, que a cada dia sentem-se subalugados por mudanças estruturais no modo de produção e na relação do trabalho.
Para essa sociedade a escola deverá estimular a criatividade, o espírito inventivo, levando-os a conviver com o incerto, o imprevisível e o diferente através de uma política de igualdade, sendo a escola o elo entre os benefícios sociais, na busca pela educação, o emprego, a saúde, ao ambiente saudável e no combate a todas as formas de preconceito, violência e discriminação.

MARCO OPERACIONAL

Partindo do princípio de que a perspectiva da escola é a busca da transformação social. Formando cidadãos críticos, participativos e conscientes para o exercício da cidadania. Fez-se necessário que se desenvolva a socialização do aluno, bem como efetivar a participação da comunidade nas ações e decisões da escola. Necessidade esta que se torna urgente devido à percepção de que a organização educacional não está cumprindo o seu papel no desenvolvimento de hábitos disciplinares, morais, religiosos e cívicos que contribuam para uma completa socialização, visto que estes fatores exercem influência no desenvolvimento de tais posturas, assim como o nível sócio-econômico e cultural dos educandos, que não lhes oferece condições adequadas. A carência econômica e cultural dos alunos é transparente, pois as famílias não têm condições de atender as necessidades primárias de seus filhos. Sendo assim, torna-se difícil para os pais atender, também, as necessidades escolares.
O Colégio Estadual Soldado Constantino Marochi demonstra a preocupação em viabilizar mudanças, despertando uma educação que possibilite a permanência do aluno no sistema escolar com sucesso, desenvolvendo um trabalho junto aos professores, para que haja mais incentivo, e criatividade nos projetos pedagógicos apoiados pelo governo, como: Fera, Educação com Ciência, Informática, Jogos, etc. Torna-se necessário, também, incentivar a participação da família na vida escolar do aluno, fator este que motiva para um melhor desempenho da vida acadêmica. Através dos encontros promovidos pelo colégio e dentre outras atitudes a serem tomadas, pretende-se resgatar valores e promover a motivação e elevação da auto-estima dos educandos, através de palestras, dinâmicas, apresentações artísticas, mensagens, etc. Outra questão apontada é a defasagem em leitura, escrita, interpretação e produção de textos. Sendo esta uma das funções primas da instituição escolar que subsidia o desenvolvimento de outras capacidades, torna caráter de urgência. Assim, a escola deve incentivar e apoiar trabalhos e posturas que proporcionem futuras transformações. Planejar e procurar a tomada de decisões conjuntas e adotar posturas de mútua colaboração são atitudes que podem levar à solução de eventuais problemas da melhor maneira possível.
Para efetivar, então, a participação, a APMF, deve estar diretamente envolvida com o processo ensino-aprendizagem, tendo em foco a formação do aluno. E, dentro desse processo, cabe à escola estabelecer os instrumentos de registro e documentação das avaliações a partir de pareceres, fichas e de boletins que possam comunicar os resultados.

OBJETIVOS GERAIS
· Aprofundar a reflexão, ação comunidade escolar a respeito da reorganização da Escola Pública com vistas a diminuir, índice de reprovação e evasão garantindo o sucesso escolar;
· Planejar coletivamente as ações do currículo adequando-o a realidade local;
· Assessorar a comunidade escolar dentro dos encaminhamentos metodológicos, áreas disciplinas do currículo e das metas globais;
· Desenvolver no aluno um exercício pleno de ética e cidadania de forma que ele possa atuar na sociedade em que está inserido;
· Promover a paz, criando um ambiente de harmonia entre os alunos e funcionários, levando-os a desenvolver o sentido humano.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Os objetivos do Ensino Fundamental e Médio são:
· Compreender a cidadania como participação social e política, assim como os exercícios de direitos e deveres políticos, civis e sociais, adotando, no dia-a-dia, atitudes de solidariedade, cooperação e repúdio às injustiças, respeitando o outro e exigindo para si mesmo respeito
· Posicionar-se de maneira crítica, responsável e construtiva nas diferentes situações sociais, utilizando o diálogo como forma de mediar conflitos e tomar decisões coletivas.
· Questionar a realidade formulando-se problemas e tratando de resolvelos, utilizando para isso o pensamento lógico, a criatividade, a intuição, a capacidade de análise crítica, selecionando procedimentos e verificando sua adequação.

No Ensino Fundamental e Médio diagnosticou-se:
· Condições de contribuir para realização de um projeto de sociedade, cuja meta seja torna-la mais justa.
· Dificuldades de leitura, interpretação e produção de textos.
· Problemas em relacionar o conteúdo estudado com a vida prática.
· Sérios problemas relacionados à resolução de problemas e a atividades que envolvam raciocínio lógico.
· Problemas relacionados a ensino de valores e atitudes (tolerância, solidariedade).
· Apatia e desinteresse resultantes da falta de estímulo pela família, professores e a escola de modo geral.
· Falta de vínculo e identidade com a escola.
· Os meios de comunicação de massa de uma certa forma, hipnotizam e não estimulam um pensamento crítico. Tudo está pronto para ser consumido, não se faz necessária à participação ativa do cidadão. Como conseqüência, podemos observar a dispersão, a irritabilidade, a falta de raciocínio lógico, a resistência a conteúdos que visam levar a pensar, a refletir, a argumentar, a raciocinar, a debater e a posicionar-se.
· Modificar esse quadro é um desafio para a equipe escolar. A maior dificuldade é a reposição de conteúdo para sanar dificuldades de aprendizagem provocadas por freqüência irregular às aulas.

PROPOSTA DE FORMAÇÃO CONTINUADA

· Possibilitar através dos conhecimentos, historicamente construídos, os meios necessários à construção de uma visão crítica da sociedade;
· Buscar integração entre o colégio e o Departamento Municipal de Educação, visando estabelecer dialogo permanente a respeito de problemas comuns para a implementação de ações conjuntas (evasão, repetência, formação de palestras);
· Garantia de espaço permanente de discussão e decisão da comunidade sobre problemas da escola, inclusive nas diferentes
comunidades a que pertence o aluno;
· Proporcionar aos professores espaço de troca de experiências, estudo e construção de uma ação pedagógica que busque a transformação;
· Proporcionar conjuntamente com o Departamento de Cultura do município a participação de palestras, eventos culturais, teatros, performances musicais, bem como a participação em eventos promovidos pelas escolas vizinhas.

ver mais...


Validador

CSS válido!

Secretaria de Estado da Educação do Paraná
Av. Água Verde, 2140 - Água Verde - CEP 80240-900 Curitiba-PR - Fone: (41) 3340-1500
Desenvolvido pela Celepar - Acesso Restrito